Home / Recursos / Estudos / Perdão III
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
14/02/2012

Perdão IIIImprimir

PERDÃO III

 Chegamos à nossa última série de devocionais sobre Perdão e meu desejo é que você esteja olhando para o seu coração e refletindo o que você pode aperfeiçoar em sua vida com Deus. Nessa semana, nós lidaremos com algumas questões mais práticas do Perdão e espero que você seja desafiado durante toda esta semana.

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.18.23-35; Sl.130.3,4

1. Uma belíssima maneira de começarmos nossa semana de reflexões é lembrarmos que o perdão pessoal está baseado no perdão de Deus para com a nossa dívida impagável. O texto que lemos hoje no Evangelho de Mateus nos mostra bem essa ideia. Por meio de uma parábola, Cristo ensina Seus discípulos sobre por que deveríamos perdoar alguém que nos ofende. A parábola é simples em sua história. Havia um homem rico que possui um servo que lhe devia muito dinheiro, uma quantia impossível de ser paga. O homem rico, então, amando o seu servo, perdoou a dívida. Este servo, por sua vez, tinha um conservo que lhe devia uma boa quantia em dinheiro. Quantia essa que era possível de ser paga. Todavia, a dívida do servo com o homem rico havia sido perdoada, imagina-se, por isso que o servo deveria perdoar o seu conservo exercendo a mesma misericórdia e graça que foi demonstrada para com ele. Sua decisão, porém, é contrária ao perdão concedido a ele. O servo exige do seu conservo tudo e o manda a prisão. Pensemos em nossas vidas - nós tínhamos uma dívida impagável para com Deus e Ele nos perdoou sabendo que jamais seríamos capazes quitarmos a nossa dívida. Não é fato, também, que muitas vezes agimos como o servo nos "esquecendo" do que Deus fez por nós e não perdoando como Deus nos perdoou? O Sl.130.4 diz que o perdão está com o Senhor e isso gera temor. Existem situações em sua vida que você ainda precisa perdoar algum ofensor? Existem situações onde você precisa pedir perdão por ter ofendido alguém? Tome uma decisão de lidar com esta questão. Aliste quais são estas situações e que passos você deve dar para lidar biblicamente com estas questões.

Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Rm.12.19; Mt.18.23-35

1. Sei que você releu o texto de ontem, mas é muito importante que você mantenha essa perspectiva viva em sua mente. Como perdoar, então? Sugiro que você tenha algumas ações. Primeiramente, aliste as ofensas do ofensor contra você. Em segundo lugar, aliste (se for necessário) as suas próprias ofensas para o ofensor (busque olhar a situação pelos olhos do ofensor) e peça perdão caso você identifique algo que o tenha ofendido. Terceiro, ore a Deus entregando a Ele o direito de executar qualquer retribuição (vd. Rm.12.19) uma vez que você reconhece o tamanho do perdão que Deus manifestou com a sua vida e que sua disposição deve ser de perdoar como Deus o perdoou (vd. Mt.18.23-35). Estes são os primeiros três ações que sugiro você tome para perdoar aquele que o ofendeu.

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt. 6.21; Lc.6.27,28; Rm 12.20-21; I Ts. 5.18

1. Continuamos, hoje, a pensar nas ações que podemos ter para perdoar o nosso ofensor (lembre-se das ações de ontem!). Quarta ação: faça um compromisso diante de Deus de não mais levantar a ofensa diante de Deus, diante do ofensor, diante de outras pessoas e em seu próprio pensar. Este compromisso será fundamental neste processo! Quinta ação: invista na vida do seu ofensor quando isso for possível. Minimamente, isso passa por orar pela vida dele, mas pode significar muito mais. O texto de Rm.12.20,21 fala sobre colocar brasas vivas na cabeça do outro e isso se dá a medida que você expressa um amor aperfeiçoado por este indivíduo não retribuindo a ele o que ele te fez (vd. Lc.6.27,28). Algumas vezes nossa ajuda poderá ser financeira e isso revelará muito de nossa decisão de perdoar (vd Mt.6.21). A última ação: durante o processo e no final dele, agradeça a Deus pelos propósitos que Ele tem por meio das ofensas (vd. I Ts.5.18). Neste momento devemos nos lembrar que a ofensa, nos planos soberanos de Deus, nos tornará mais parecidos com Cristo, ainda que momentos seja somente motivo de dor e sofrimento. Olhe para sua lista de ontem e veja quais são próximos passos que você deve dar para perdoar como Deus nos perdoou.

Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.5.43-48; Gn.45.1-8

1. Estamos nos encaminhando para o final do nosso meditar sobre o perdão. Mas antes de acabarmos gostaria pensar brevemente sobre como sabemos que perdoamos verdadeiramente. A primeira forma de percebermos isso é viver no presente, com liberdade e sem amargura, embora sabendo que não estou isento de ofensas futuras. A decisão tomada no presente de substituir qualquer ódio ou amargura por uma decisão ativa de amar (vd. Mt.5-43-48). Podemos ter clareza que perdoamos quando nosso desejo é amar intensamente aquele que nos ofendeu, sabendo que podemos ser ofendidos novamente. A segunda forma é concentrar-se naquilo que Deus pode fazer em sua vida e na vida do ofensor durante o processo e focar em como ajudar o ofensor (vd. Gn.45.1-8). Lembre-se que José amou os seus irmãos e viu na ofensa deles a forma de Deus prover para toda uma nação, inclusive dos irmãos que o ofenderam. Por fim, quando as lembranças vieram a mente, não permitir e ter clareza que nenhum ódio ou rancor se manifesta, antes, um simples fato permitido por Deus em Seu plano soberano. Ore a Deus, neste momento e agradeça-O pelo perdão que Ele lhe concedeu e pela possibilidade que temos de exercer a mesma demonstração de amor para aqueles que nos ofendem. Sugiro que você leia o livreto Perdão - eu simplesmente não consigo me perdoar, de Bob Jones, NUTRA Publicações.

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios