Home / Recursos / Estudos / Língua - Parte 2
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
12/03/2013

Língua - Parte 2Imprimir

LÍNGUA - PARTE 2

Estamos refletindo naquilo que a Bíblia nos ensina sobre a língua. Em nossa última devocional falamos que a língua, não é o órgão, mas as palavras que saem de minha boca e refletem aquilo que tenho em meu coração. Um coração sábio externará palavras de sabedoria, porém um coração ímpio de impiedade. Nesta semana seguiremos nossa reflexão sobre a língua, clamando a Deus por graça enquanto estudamos a Palavra Dele.

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Sl.34.11-14

1. Os versos deste Salmo são belíssimos e falam muito sobre o nosso tema - a língua. No verso 11 o salmista faz um convite. Este mesmo convite é o que gostaria de fazer a você hoje: "Vinde filhos e escutai-me; eu vos ensinarei o temor do Senhor" (vd. Sl.34.11). Como podemos aprender o temor do Senhor? Creio que este verso nos ajuda a pensar. Primeiro, estar perto de pessoas que possam ensinar sobre o temor do Senhor. Segundo, estar disposto a escutar quando alguém ensina o que é temor do Senhor. Estas são duas decisões que podemos tomar em nossa vida diária. Aproximar-nos de pessoas sábias e ouvir o que elas nos têm a dizer. Depois deste convite há um questionamento parte do salmista. Um questionamento que busca trazer a tona aquilo que o homem mais deseja. "Quem deseja amar a vida?" (vd. Sl.34.12). A ideia desta pergunta é descobrir se o homem deseja desfrutar plenamente da vida, mas de modo prudente e sábio. Se a resposta for afirmativa, "Sim, eu desejo!", o salmista descreve o que deve ser feito. Primeira decisão de alguém que deseja desfrutar plenamente da vida - refrear a  língua (vd. Sl.34.13). Não podemos perder de vista o que está escrito no verso 11, o temor do Senhor. Aprender a temer a Deus passa por aprender a não falar o mal. Isto é, nem falar pecaminosamente nem falar mal de alguém. A segunda decisão é fazer o que é bom (vd. Sl.34.14a). Veja que interessante este contraste exposto. Não falo o que é mal e faço o que é bom. O indivíduo que busca temer a Deus tem atitudes que expressam um coração bondoso para com o próximo. A terceira e quarta decisões são desenvolvimentos naturais das duas primeiras: procurar a paz e empenhar-se para alcançar a paz, respectivamente. Aquele que escolhe fazer o bem e não falar mal está procurando a paz e esforça-se para ter paz. Isso significa que o indivíduo pensa nas palavras que usará, na forma como agirá, na maneira como responderá, para ser prudente e sábio e, assim, saber que fez tudo o que dependia dele para promover a paz. Temer ao Senhor e desfrutar da vida dependem de quatro decisões: falar o que é bom; fazer o que é bom; procurar a paz; empenhar para alcança-la. Você tem buscado aprender a temer a Deus? Como você tem feito isso? Se assemelha de alguma forma aquilo que o salmista descreve aqui? Veja o que processo começa com o uso sábio da língua.

Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Pv.6.16-19; Pv.10.20,21,30,31; Pv.12.18,19; Pv.15.1,2,4,7; Pv.18.2; Pv.25.15

1. Hoje o trabalho é seu! Olhe para estes textos de Provérbios e faça um quadro comparativo entre a língua do sábio e a língua do insensato descrevendo quais são as consequências de uma de outra. Depois, aliste quais as questões sobre o uso da língua você ainda precisa trabalhar em sua vida. Isso, claro, se houver alguma área que precisa ser transformada.

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Ef.4.17-5.2

1. Gostaria muito que você pudesse memorizar o versículo de Ef.4.29 durante o tempo de sua devocional. Sem dúvida alguma, a verdade ensinada por Paulo neste texto é fundamental para nossa vida. Gostaria de pensar mais longamente sobre este texto dentro de seu contexto. Nos primeiros três capítulos da Carta aos Efésios, Paulo descreve qual foi a obra do Deus Trino realizada por amor em nosso favor. Depois, nos três últimos capítulos o apóstolo descreve quais são as consequências dessa nova vida que Deus nos dá em termos de transformação. Diante da obra de Cristo da cruz em nosso lugar, já não devemos viver como gentios, mas como separados por Deus e isso implica mudanças. Essa exigência de mudança é vista em Ef.4.22-24, onde somos exortados a despojar, renovar e revestir a nossa vida buscando uma nova vida em Cristo. Em quais áreas isso é necessário? Em todas as áreas e Paulo descreve algumas delas: mentira (vd. Ef.4.25), ira (vd. Ef.4.26,27), roubo e sustento pessoal (vd. Ef.4.28), uso da língua (Ef.4.29), vida de santidade (vd. Ef.4.30) e a expressão de nossas emoções (vd. Ef.4.31). Antes devemos ser outra coisa diante de Deus, imitadores de Deus andando em amor como Cristo amou (Ef.5.1,2). Veja como a nossa língua está inserida neste contexto de renovação da mente necessária para aquele nascido de novo. O nascido de novo deve usar as suas palavras de forma que expresse amor e evidencie a presença de Deus em sua vida. O desafio aqui é bem alto, mas contamos com a presença do Espírito Santo que nos capacita plenamente a vivermos como Deus deseja. Como você pode averiguar a renovação da sua mente no que se refere ao uso da língua? Um amigo chegado ou o cônjuge amado pode auxiliá-lo a descrever quais são os progressos na sua vida nesta área específica? Minha oração é para que você seja vitorioso em sua luta contra a língua.

Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Ef.4.29

1. O texto de Ef.4.29 que você memorizou ontem e pode ver o contexto onde está inserido, nos ensina verdades fundamentais para sermos piedosos em nosso uso da língua. Vejamos quais são estas verdades: 1. Aquele que está no processo de renovação e busca pela imagem de Cristo não deve proferir palavras torpes (vd. Ef.4.29). O espectro de palavra torpe vai do palavrão mais chulo até a maledicência ou comentário aparentemente mais inofensivo que alguém possa fazer. É toda é qualquer palavra dita que não gera o fruto esperado para aquele que anda com Cristo. 2. Aquele que está no processo de renovação e busca pela imagem de falar de acordo com princípios (vd. Ef.4.29b). Estes princípios são: a. o que estou prestes a falar edifica? b. há necessidade de ser dito o que estou prestes a dizer? c. transmitirá graça a quem ouve? Se passar por este crivo, fale! Caso não passe pelo crivo, por favor, não fale! Se não passar e você ainda assim falar, saiba que isso é pecado. Por isso Provérbios diz que "no muito falar não falta transgressão"(vd. Pv.10.19). Estabeleça como um hábito relembrar estes princípios de Ef.4.29 antes de você falar qualquer coisa. Se fizer isso, você estará a passos largos para dominar a sua língua. Deus o abençoe.
 

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios