Home / Recursos / Estudos / Consciência - Parte 3
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
24/04/2012

Consciência - Parte 3Imprimir

CONSCIÊNCIA - PARTE 3

 Temos nos dedicado a estudar e meditar no tema da consciência nas últimas semanas e minha oração é que este tempo de meditar na Palavra de Deus esteja conduzindo você a pensar a sua vida pela Verdade e que suas decisões reflitam esse coração transformado por Cristo, buscando ser a imagem de Cristo.

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE I Tm.4.2 e Hb.10.22

1. Terminamos a nossa última semana pensando nas consciências doentes e vimos a dois tipos: a fraca e a corrompida. A Bíblia, porém, descreve mais dois tipos de consciência doentia. A primeira que veremos hoje é a má. Em Hb.10.22 vemos que todos aqueles que foram salvos por Cristo Jesus tiveram suas consciências más purificadas. Veja que esta é uma posição do cristão, mas não sua condição. Os que creem foram libertos da má consciência, mas devem lutar por uma boa. O último tipo de consciência doentia é a cauterizada. No texto de I Tm.4.2, vemos que Paulo faz referência aos falsos mestre que terão duas características: serão mentirosos e detentores de uma consciência cauterizada. A cauterização da consciência implica na incapacidade do indivíduo fazer avaliações morais corretas devido ao grau de baixeza atingida por ele. O indivíduo que não lida com o seu pecado possui uma consciência inútil, pois não mais o acusa de seus erros. Você tem lutado para ter uma consciência sadia uma vez que você foi capacitado por Deus para isso? Existe alguma área de sua vida que você precisa ficar atento para não se tornar alguém com uma consciência cauterizada?

Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE II Tm.1.3; Hb.13.18; I Pe.3.16

1. Focando na consciência sadia a partir deste momento, podemos distinguir entre dois tipos. A primeira delas é a consciência pura. Paulo fala dela em I Tm.1.3 quando diz que desde de seus antepassados ele tem uma consciência pura. Como pode Paulo, porém, afirmar que sua consciência é pura desde os antepassados uma vez que ele não fora alcançado pela graça neste momento de sua vida? Porque, como dissemos, a consciência é o grau de concordância entre aquilo que eu creio e aquilo que eu faço, então se Paulo tivesse um proceder concordante com suas crenças sua consciência seria considerada pura. Assim na vida cristã uma consciência pura estará em completa dependência de uma consciência boa. O autor de Hebreus afirma que deseja viver condignamente com as verdades bíblicas e, assim, ele teria uma consciência boa (vd. I Pe.3.16). Uma consciência boa diante de Deus é um viver em conformidade com os padrões estabelecidos por Deus nas Escrituras sagradas. Em quais áreas de sua vida você pode identificar uma consciência boa? Como você tem lutado para manter uma consciência boa? Qual a importância de um irmão maduro em Cristo para manutenção da consciência boa? Descreva.

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.5.20-26  e Lc.15.17-21

1. Já vimos o que consciência é, já fizemos considerações sobre ela e descrevemos sucintamente quais os tipos de consciência. Todavia, como posso desenvolver uma consciência boa? Quero pensar em dois passos básicos que deveríamos pensar. O primeiro deles está descrito em Mt.5.20-26 e refere-se a decisão de reconciliar-se todas as vezes que for necessário quer na esfera de irmãos em Cristo quer na esfera dos descrentes. Se existe algo que fiz e me arrependo, se existe alguém que tenho um problema de relacionamento, se há algum conflito que não lidei, devo tomar a decisão de resolvê-lo o mais prontamente. Para isso identifique o que gerou o conflito. Não pense apenas em ações, pense em atitudes e expressões não verbais que possam ter ofendido o outro. O segundo passo para cultivar uma consciência boa é peça perdão de modo planejado (vd. Lc.15.17-21). O filho pródigo quando reconheceu o seu pecado planejou exatamente como pediria perdão pelo seu pecado para se reconciliar com o seu pai (veja nossas devocionais sobre perdão para mais detalhes sobre esse assunto). Durante este processo de pedido de perdão avalie o seu coração para que tenha a clareza de que você reconheceu plenamente o seu pecado, sabe a gravidade dele, está disposto a mudar e sabe exatamente pelo que irá pedir perdão. Estou certo de que se você der estes passos estará caminhando rapidamente para desenvolver uma consciência boa.

Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Pv.18.1  e Ef.4.22-24

1. Estamos lidando com a nossa consciência, lutando para buscar uma boa consciência. Vimos ontem passos para isso e hoje, para fecharmos este tema, pensaremos em como instruir nossa consciência. O livro de Provérbios é rico em mostrar como a instrução que provem da sabedoria nos conduz a uma viver mais pleno diante de Deus. O oposto do viver em sabedoria é viver em insensatez. Provérbios 18.1, nos diz que solitário insurge-se contra a verdadeira sabedoria. O indivíduo que estiver disposto a cultivar uma consciência boa deverá ter comunhão com crentes maduros na fé. Pessoas que o lembrarão de manter Cristo como o centro da vida dele, que o incentivarão a obedecer aquilo que ele já sabe e que lhe ajudarão em momentos de crise e pedidos de perdão. O cristão foi instruído pelo apóstolo Paulo a entrar num processo de despojar, renovar e revestir (vd. Ef.4.22-24). Nós somos desafiados a abandonar nossa velha vida e vivermos uma nova vida em Cristo. Nutrir, instruir nossa consciência para que ela cresça boa depende de um estudo da palavra que me conduza a um processo de despojar, renovar e revestir do novo homem. Neste processo faça da oração uma aliada. Que Deus nos abençoe neste processo de lidar com nossa consciência!
 

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios