Home / Recursos / Estudos / Autoridade
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
22/05/2012

AutoridadeImprimir

AUTORIDADE

 Se existe um princípio que ao longo do tempo foi perdendo completamente o seu significado, este é o princípio de autoridade. Na sociedade brasileira atual o respeito às autoridades não é praticado nem tão pouco incentivado. Tentando se afastar dum conceito de autoridade ditatorial estamos próximos a chegar ao outro extremo que é o de anarquia. Nas Escrituras, porém, vemos claros princípios de autoridade que devem ser entendidos e vividos por parte daqueles que buscam ser a imagem de Cristo. Durante a leitura e meditação neste assunto não pense em: "Como será bom para o meu filho(a) saber disso!". Considere o modo como você entende e se relaciona com as autoridades. Que Deus trabalhe em nossos corações.

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Gn.1.28; 2.20-23; 3.16

1. Para termos um bom pensar sobre este assunto gostaria de fazer algumas considerações iniciais as autoridades. Devemos nos lembrar de que Deus criou o Mundo com ordem. A confusão e desordem são frutos do pecado. Quando Deus criou os animais e depois o homem, foi dado ao homem autoridade para dominar toda a criação (vd. Gn.1.28). Esse domínio se torna bastante claro quando o homem nomeia cada um dos animais (vd. Gn.2.20). Em seguida, Deus cria do homem uma mulher para que lhe corresponde-se plenamente (vd. Gn.2.21-23). Agora haviam dois seres humanos que se relacionavam integralmente um com o outro e havia uma submissão voluntária sem que isso fosse motivo de conflito. Esse relacionamento homem e mulher no jardim refletia o relacionamento existente entre os membros da Trindade que voluntariamente se submetem a autoridade de Deus Pai. Com o pecado, porém, toda esta ordem perfeita e esta submissão voluntária foram quebradas e o desejo de assumir funções e exercer poder sobre outro agora é realidade. A mulher agora deseja assumir a posição do marido que muitas vezes se esquiva de suas responsabilidades (vd. Gn.3.16). De um relacionamento de submissão voluntária como um reflexo da Trindade, autoridade agora é desejada e disputada. Deus, porém, em Sua graça, estabeleceu algumas diretrizes para as autoridades a fim de que haja manutenção da ordem num mundo corrompido pelo pecado. Porém, o homem pecador lutará contra a autoridade. O resultado deste processo é conflito, confusão e caos. Satanás deseja que o Mundo caminhe para o caos. A dificuldade de lidarmos com as autoridades evidencia o que falamos. Pare e pense: Você pode se considerar submisso(a) às autoridades que lhe cercam ou você tende a exigir e questionar a postura e o agir das autoridades com as quais se relaciona? Descreva situações onde sua submissão ou rebelião ficam evidentes.

Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Rm.13.1,2; Hb.12.5,6

1. Uma verdade muito importante e que jamais deveria sair de nossas mentes é que cada uma das autoridades foi instituída por Deus (vd. Rm.13.1,2). Dessa maneira, qualquer rebeldia contra uma autoridade deveria ser vista como uma rebelião contra Deus. As autoridades foram instituídas por Deus com um propósito em nossas vidas. Deus utilizará as autoridades como Suas ferramentas, guiadas por Sua mão, para que ocorra uma lapidação em nossas vidas, transformando diamantes brutos em jóias preciosas. Não devemos rejeitar a lapidação do Senhor. O texto de Hb.12.5,6 mostra que Deus disciplina e corrige os seus filhos amados para que estes cresçam e, muitas vezes, este processo se dá pela intervenção duma autoridade. Em sua visão qual é o papel da autoridade? Escreva de que maneira este textos nos ajudam a pensar no propósito das autoridades em nossas vidas. Olhe para o texto de Êx.20.12 e descreva como deve ocorrer o relacionamento de pais e filhos diante do princípio de autoridade e honra.

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Rm.13.3-5; I Pe.2.13,14

1.  Vimos ontem que as autoridades foram colocadas por Deus sobre nossas vidas. Sendo assim, nós deveríamos ser submissos a todas as autoridades que Deus tem colocado sobre as nossas vidas. O apóstolo Pedro quando escreveu a sua carta para irmãos que estavam sofrendo perseguição e neste contexto diz que deveríamos estar sujeitos a qualquer instituição humana (vd. I Pe.2.13,14). A instituição tem três características neste texto: a. procede do Senhor; b. tem autoridade para castigar alguém; e, c. tem autoridade para reconhecer alguém. Essas características das autoridades deveriam nos fazer viver em submissão a cada uma delas. O apóstolo Paulo argumenta desta maneira em Rm.13.3,4. A nossa submissão, porém, não deveria ser proveniente somente do temor que a punição nos dá ou da possibilidade de sermos reconhecidos. Antes deveríamos submissão as autoridades por um dever de consciência (vd. Rm.13.5). Qual dever de consciência? A consciência de que Deus está sobre cada uma das autoridades e obedecer às autoridades é obedecer a Deus e desobedecer às autoridades é desobedecer a Deus. Você está disposto a se submeter às autoridades que estão sobre você por motivo de consciência diante de Deus? O que você mais teme: a punição das autoridades ou a desobediência ao Senhor quando se rebela contra uma autoridade? Justifique a sua resposta. Pelo que nós já expusemos, você seria capaz de alistar alguns passos que alguém que tem dificuldades com autoridades deve dar para ser mais submisso.

Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Rm.13.1; Cl.3.20-24; Tt.3.1

1. Uma justificativa que muitas vezes damos para não nos submetermos a uma autoridade é a condição espiritual desta autoridade. Contudo, os temos de Rm.13.1 e Tt.3.1 deixam claro o que o apóstolo tinha em mente. Deveríamos ser submissos a qualquer autoridade, independente de qual seja a realidade espiritual dela. Se o presidente de meu país for ímpio deverei me submeter a ele. O mesmo vale para filhos que tem pais descrentes (vd. Cl.3.20). Não se obedece a um pai pela condição espiritual dele, mas pelo simples fato dele ser meu pai e ser autoridade sobre minha vida por permissão divina. O mesmo raciocínio se usa para autoridades no trabalho, na escola, onde for. Deveríamos ter sempre em mente que servimos em última análise o próprio Deus. Quando nos dispomos a obedecer a nossas autoridades, com a certeza de que estamos servindo ao nosso Senhor, o próprio Deus recompensará a decisão do servo obediente. Gaste um tempo orando pelas autoridades de sua vida e peça a Deus graça, paciência e sabedoria para lidar com cada uma delas como se estivesse fazendo para o Senhor.

 

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios