Home / Recursos / Estudos / Autoridades - Parte 2
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
29/05/2012

Autoridades - Parte 2Imprimir

AUTORIDADE - PARTE 2

 Iniciamos na semana passada uma reflexão sobre o tema da autoridade, trabalhando principalmente com a compreensão de que todas as autoridades existentes procedem do próprio Deus. Se obedecer a autoridade humana, obedecemos a Deus também. Continuemos nesta semana a meditar sobre a autoridade e desejo que você esteja atento a esta área em sua vida. Deus lhe abençoe!

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Lc.2.41-52

1. A submissão é a maneira estabelecida por Deus para nos relacionarmos com as autoridades. Submissão tem, em nossos dias, sido divulgada de maneira errônea. Alguns entendem submissão como anulação. Devemos nos anular e ficar calados, então seremos submissos. Creio que não é essa a ideia bíblica. Na vida de Jesus vemos o exemplo claro de submissão. Sabemos quem Jesus é. Ele é Deus e Ele é homem. Completamente um e plenamente o outro. Nele sabemos quem Deus é e Nele compreendemos o que o homem deveria ser se não tivesse pecado. No texto de hoje vemos que Jesus e sua família foram para Jerusalém comemorar a Páscoa. Ao findar os dias das festividades, todos voltavam para suas casas. Jesus, contudo, permaneceu no templo entre os doutores da lei ouvindo e interrogando a cada um deles (vd. Lc.2.46). José e Maria estavam a caminho de casa e durante a peregrinação de retorno perceberam Jesus não os acompanhava. Retornaram a Jerusalém e lá o encontraram conversando com os doutores (vd. Lc.2.48). Ao ver o filho no meio dos doutores, houve tanto uma reação de espanto pelo que Ele sabia como de medo pelo fato de Jesus não ter acompanhado os pais. Jesus desobedeceu aos pais? Sem dúvida que não. Ele simplesmente dava seus primeiros passos ministeriais. Todavia, mesmo sendo Deus e debatendo abertamente com os doutores ele retorna com os seus pais e se submete a autoridade deles sobre a sua vida (vd. Lc.2.51). Mesmo sendo quem era, Ele humildemente segue as orientações de seus pais, porém dando claro indício do quem Ele era. Essa submissão voluntária permitia que Jesus crescesse em sabedoria (vd. Lc.2.52). Se Jesus sendo Deus se submeteu e obteve crescimento, isso me diz que submissão as autoridades será de grande crescimento e amadurecimento de caráter para nossa vida. Diante disso, procure estabelecer uma breve definição de submissão e aliste os benefícios que a submissão nos trás.

Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Pv.2-7

1. O livro de Provérbios nos capítulos de 2 até 7 descrevem a Sabedoria personificada numa figura paternal que busca orientar o seu filho a como conduzir diligentemente a sua vida debaixo da Sabedoria que procede de Deus. Temer a Deus é o princípio para se alcançar a sabedoria (vd. Pv.1.7). Submeter-se as autoridades pode nos conduzir a tomar decisões acertadas quando elas nos instruem a temer a Deus. Observe estes seis capítulos de Provérbios e aliste quais são os conselhos que o pai dá ao seu filho para que este cresça em sabedoria e temor ao Senhor. De que maneira estes conselhos auxiliarão a sua vida?

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.5.41; Rm.12.20; I Tm.2.1,2; Tt.3.1,2

1. Como desenvolver uma atitude positiva de submissão as autoridades? Gostaria de pensar em algumas orientações bíblicas para nos relacionarmos de modo submisso com as autoridades. Primeiro: Não difame (vd. Tt.3.1,2). É muito fácil criticar e verificar os erros na vida de alguém que está em uma posição de autoridade. Por isso, resista a tentação de falar mal daquele que Deus colocou sobre sua vida. Se você não tem o que dizer de bom, não fale nada! Segundo: Ore por ele (vd. I Tm.2.1,2). Se criticar é difamar é fácil, orar não é. Coloque a vida de nossos governantes, de seus diretores, gerentes, professores, diante de Deus e peça a Deus que lhes conceda sabedoria e discernimento para cumprir com suas funções. Terceiro: Ultrapasse as exigências (vd. Mt.5.41; Rm.12.20). Geralmente trabalhos com a ideia de cumprirmos o essencial para com aqueles que não dão alguma ordem, ou não agem de maneira que nos favoreça. A Palavra de Deus, entretanto, nos dá um padrão bastante elevado de como devemos agir diante de alguém que, necessariamente, não nos favorece. Faça mais do que ele pediu que você fizesse. Faça além! Ande uma segunda milha, quando sua obrigação era andar apenas uma e ao fazer isso deixe que a pessoa injusta pense intensamente em suas ações. De que maneira estas três orientações bíblicas podem fazer parte de sua rotina de lidar com as autoridades? Coloque cada uma delas em sua lista de passos para o crescimento no seu relacionamento de submissão.

Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Dn.3.16-18; 6.13,14; At.5.29

1. Existe uma única possibilidade nas Escrituras que podemos desobedecer a uma autoridade. Quando o desejo desta autoridade viola um mandamento explícito das Escrituras e me levaria a pecar se eu a obedecesse. Isso ocorreu na vida de Daniel e seus amigos. Diante a orientação do rei de que todos deveriam adora-lo e não deveriam orar a mais nenhum outro deus, Daniel descumpre a legislação por obediência a Deus (vd. Dn.6.13-14) e sofre o dano de sua decisão de piedade e santidade. O mesmo ocorre com seus amigos (vd. Dn.3.16-18). Os apóstolos quando foram obrigados a não mais pregar sobre Cristo tiveram uma pronta resposta que foi registrada em At.5.29 "Antes, importa obedecer a Deus do que a homens". Isso nos leva a algumas considerações finais nesta semana: A quem você teme mais a Deus ou as autoridades? Ainda que nós nos revoltemos contra as autoridades de modo pecaminoso, quando precisamos violar a lei humana para adorar somente a Deus não queremos sofrer o dano duma adoração exclusiva. Ore a Deus pedindo graça para saber discernir corretamente e tomar a decisão acertadamente.

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios