Home / Recursos / Estudos / Ansiedade
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
20/03/2012

AnsiedadeImprimir

ANSIEDADE

 Começamos hoje a abordar mais uma área da vida em nossa série de devocionais sobre "Vida Cristã". Já falamos sobre perdão e ira e nessa semana refletiremos num tema bastante recorrente em nosso cotidiano que é a ansiedade. O que ansiedade é? Como a Bíblia aborda este assunto? De maneira podemos lidar com nossas ansiedades? Tentaremos responder perguntas como essas e com outras mais que surgirão durante nossos estudos devocionais. A Bíblia é fonte riquíssima e inesgotável de verdades. Pensaremos na ansiedade por uma perspectiva bíblica, com o propósito de sermos mais semelhantes a Cristo para honra e glória de Deus Pai.

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Hb.4.15

1. Há uma verdade muito importante que devemos sempre ter em mente quando pensamos na pessoa de Cristo e que nos ajuda a viver dia após dia confiando de que podemos vencer aquilo que nos aflige. Essa verdade foi escrita pelo autor do livro de Hebreus. Em Hb.4.15 nós vemos que na pessoa de Cristo nós temos um Sumo Sacerdote que se compadece de todas as nossas fraquezas. Você já pensou nesta verdade? Uma das acepções da palavra compadecer é "conformar-se com". Jesus conformou-se com as nossas fraquezas, porém sem pecar, pois devido a sua natureza Ele não podia pecar. Nós temos, então em Cristo, o perfeito padrão de como devemos lidar com as nossas limitações, inclusive com a nossa ansiedade. Lembre-se sempre disso: Cristo lutou e VENCEU as mesmas batalhas que você e eu lutamos. Desse modo, podemos vencer a nossa luta contra a ansiedade que muitas vezes nos consome. Lembre-se sempre desta verdade, em Cristo temos esperança! Aliste quais verdades bíblicas você pode se lembrar em momentos de ansiedade. Para cada uma das verdades que você alistar, coloque um versículo que afirme a verdade. 
 
Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE II Co.11.28; Gl.4.19; Fp.2.20
 
1. O termo grego utilizado para se referir à ansiedade tem tanto um aspecto positivo quanto um aspecto negativo. Neste sentido, nem toda ansiedade é pecado. Antes de definirmos o que ansiedade é, gostaria de trabalhar com o que ansiedade não é. Primeiramente, ansiedade não é um cuidado ou uma preocupação que leva a lidar com as funções diárias de maneira responsável. O apóstolo Paulo demonstrou isso ao falar da preocupação (palavra poderia ser traduzida por "ansiedade") dele com as igrejas (vd. II Co.11.28). Ardia no coração de Paulo um desejo genuíno de ver cada uma das igrejas crescendo e isso era extremamente sadio, pois o levava a cumprir com excelência seu serviço para com as igrejas. A mesma ideia está em Gl.4.19, onde o desejo dele é ver Cristo sendo formado em cada um dos membros daquela igreja da Galácia. Timóteo tinha o neste interesse para com a igreja que estava em Filipos (vd. Fp.2.20). Veja que esta preocupação e cuidado não são tratados nas Escrituras como um pecado, são sim uma demonstração ativa de amor por pessoas e um alto padrão de responsabilidade. Diante desta primeira afirmação daquilo que ansiedade não é, você descansa no fato de que você tem responsabilidades a cumprir e que Deus lhe proverá os recursos para cumprir estas responsabilidades, sim ou não? Como você percebe isso em sua vida? Descreva.

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Tg.4.13-16; Pg.16.3; 22.3

1. Vimos ontem que ansiedade não é lidar com as funções diárias de maneira responsável. Uma segunda percepção do que ansiedade não é: Ansiedade também não é um bom planejamento quando corretamente entendido e praticado. O livro de Tiago descreve o planejamento que um homem fez para ganhar mais recursos financeiros, porém não considerou as intervenções que Deus é capaz de realizar. Ele simplesmente faz os seus planos e despreza o que o Senhor pensa, porque, de alguma forma, ele poderá ao final jactar-se (vd. Tg.4.13-16). Perceba que o problema não está em planejar, mas em desconsiderar as intervenções. Todos nós deveríamos ter planejamentos e isso não significa, inicialmente, ansiedade pecaminosa. Em Pv.16.3, demonstra que o bom planejamento começa com confiança no Senhor. Não é que o indivíduo faz um plano e confia que Deus cumprira o plano por ele estabelecido. Antes, o indivíduo faz um plano e está certo de que só ocorrerá aquilo que for o plano de Deus. O homem que planeja com prudência, e não com ansiedade, é aquele que se desvia do mal (vd. Pv.22.3). Quando você está estabelecendo os seus planos as intervenções soberanas de Deus fazem parte da sua consideração? Quando o que você planejou não ocorre da forma como você desejou como você reage? Aliste quais são as suas reações a planos frustrados (Saiba que sua reação pode indicar muito da sua dependência do Senhor, de sua confiança Nele e de quanto a intervenção Dele estava permeando os seus planos). Memorize o texto de Pv.16.3.


Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.7.7-11; Sl.103.13,14; Hb.12.7-10; II Co.1.3,4; I Pe.1.3;  Ef.1.3

1. Nossa devocional hoje será uma tarefa para iniciarmos o processo de transformação de nosso coração a imagem do Filho no que diz respeito a ansiedade. Leia cada um dos textos acima e para cada um deles, faça um resumo do que eles ensinam acerca da pessoa de Deus. Em seguida, aliste quais são os encorajamentos que estes mesmo textos não dão acerca da provisão de Deus para as nossas necessidades e preocupações. Não faça essa tarefa com pressa. Você terá quatro dias até continuarmos a nossa série, reflita um pouco a cada dia sobre estes textos.

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios