Home / Recursos / Estudos / Ansiedade - Parte 2
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
27/03/2012

Ansiedade - Parte 2Imprimir

ANSIEDADE -  Parte 2

 Estamos pensando sobre ansiedade nesta nossa série de devocionais e começamos nossa reflexão sobre esse assunto estabelecendo o que ansiedade não é. Durante esta semana nosso desafio será definir o que ansiedade é. Ore a Deus para que Ele nos conceda sabedoria e graça para compreendermos este tema.

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.6.25

1. O texto de Mateus descreve bastante claramente o que ansiedade é. A ansiedade é uma preocupação extremada com o futuro, com os acontecimentos e situações do futuro. O Senhor Jesus em Seu "Sermão do Monte", estabelece que o homem não deveria se preocupar com as questões básicas da vida, por exemplo, o que comer e o que vestir. Preocupar-se com o ter ou não ter não compete nós, mas ao Senhor. Quando tentamos fazer aquilo que compete somente ao Senhor, ou seja, preocupar-se com o futuro nossa resposta será ansiedade. A ansiedade vem acompanhada de outras sensações como apreensão, mal-estar, insegurança, medo, angústia, aflição. A palavra utilizada no original para descrever a ansiedade traz a ideia de "dividir", "rasgar" e "distrair a atenção". O indivíduo ansioso á aquele que tem a sua mente divida e não consegue pensar naquilo que é correto e permite que sua mente faça considerações e divagações que não incorretas e improdutivas. Utilize esse momento para refletir e meditar sobre o aquilo que passa no seu coração. Você se preocupa demasiadamente com o seu futuro a ponto de ter reações de medo, angústia e mal-estar? Aliste quais são as situações onde com mais frequência esse tipo de resposta ocorre. Que passos você pode dar para lidar com essas situações de ansiedade? Descreva.
 
Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.6.31,34; Fp.4.8
 
1. Vimos que a ansiedade é essencialmente uma preocupação extremada com o futuro. Como consideramos na semana passada nem toda a ansiedade é pecaminosa, mas essa preocupação extremada é pecaminosa. Quando uma preocupação torna-se pecaminosa? Gostaria de descrever algumas dessas possibilidades: a. Essa preocupação torna-se pecaminosa quando os pensamentos estão direcionados para mudar o futuro (vd. Mt.6.31,34). Existe uma verdade imutável - nós não controlamos o nosso futuro. Todas as vezes que nós esforçamos para controlar o nosso futuro, nós estaremos correndo a passos largos para desenvolver uma preocupação pecaminosa - ansiedade. O nosso presente já nos traz adversidade e lutas que exigem de cada um de nós considerações e decisões. Essas situações presentes já nos são suficientes. Sendo assim, a busca por controle do futuro é pecaminosa, pois não me faz descansar no Senhor. b. A preocupação torna-se pecaminosa quando os meus pensamentos não produzem os frutos esperados pelo nosso Senhor (vd. Fp.4.8). Nós deveríamos controlar os nossos pensamentos, travando uma dura batalha com cada uma deles que me desvia do foco e divide a minha mente. O cristão que não domina o seu pensar será como uma cadeira de balanço, onde há muito movimento, porém sem alteração de lugar. O ansioso pensa sobre algo demasiadamente, mas nunca chega a lugar nenhum com as suas considerações. Como você tem lidado com os pensamentos? Ao olhar para o texto de Fp.4.8 você pode dizer que tem vencido a batalha contra os pensamentos? Descreva o que você precisa fazer para aprender a pensar corretamente.

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Pv.17.22; Lc.10.38-42; II Co.2.12,13

1. Ontem demos duas características de uma preocupação pecaminosa e hoje trabalharemos com mais duas. c. A preocupação é pecaminosa quando produz negligência no presente quanto a responsabilidades e relacionamentos. Paulo demonstra isso quando tento a oportunidade de ministrar em determinado local ele não vai devido a intranquilidade de seu coração (vd. II Co.2.12,13). O apóstolo perdeu a oportunidade por causa da sua preocupação.  O mesmo se deu com Marta (vd. Lc.10.38-42), invertendo as prioridades de sua vida, preocupou-se mais com o fazer algo do que com o ouvir os ensinos do Senhor. O indivíduo ansioso faz julgamentos errados e por isso decide errado. d. A preocupação pode prejudicar o meu corpo (vd. Pv.17.22). O nosso organismo responde aquilo que nós pensamos e alimentamos em nossa mente, coração. Podemos devido a nossa ansiedade sintomas de gastrite, alterações no ritmo cardíaco, insônia, alterações hormonais. Não devemos pensar que todo problema físico é decorrente de uma preocupação, pois isso seria leviano de nossa parte. Mas ao olharmos para o nosso coração, deveríamos ficar atentos para saber se nossa ansiedade não está prejudicando a nossa saúde. O Salmo 32.3,4, Davi fala que o pecado dele levou-o a uma debilidade física intensa. A ansiedade na sua vida tem lhe causado algum dano físico? Você já perdeu oportunidades porque pensou de modo incorreto? Descreva quais são estas situações. Escreva, também, o que você pode fazer para corrigir o seu pensar.


Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Rm.8.28; Sl.37.23; Fp.4.13; I Co.10.13; Rm.8.37-39; Fp.4.8

1. Vamos utilizar este final de semana para pensarmos corretamente sobre Deus e sobre a nossa ansiedade. 1. Aliste especificamente as maneiras pelas quais Deus tem sido um bom Pai para você. Comece por esta semana e volte até o início do ano. 2. Medite no texto de Fp.4.8 e escreva a sua definição para cada uma das qualidades do pensar que estão ali mencionadas. 3. Aliste o que Deus tem a dizer sobre as circunstâncias da sua vida nos seguintes textos: Rm.8.28; Sl.37.23; Fp.4.13; I Co.10.13; Rm.8.37-39.
 

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios