Home / Recursos / Estudos / Amor
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
26/03/2013

AmorImprimir

AMOR

A vida cristã é extremamente desafiadora para aqueles que buscam se conformar à imagem de Cristo. Há diversas áreas da vida cristã que nos desafiam e com as quais lutamos constantemente. Entretanto, dentre estas áreas da vida cristã, há uma que nos desafia todos os dias, a saber - amar biblicamente. Este não é o espaço para fazermos um tratado sobre o amor, mas é o espaço para considerarmos o quanto ainda precisamos aprender a amar biblicamente. Espero que você seja desafiado com esta reflexão a buscar a semelhança com Cristo, assim como eu tenho sido desafiado nesta área diariamente. Que Deus tenha graça de nós! 

Terça-feira 

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Dt.7.7,8; Ml.1.2 

1. Começamos a nossa reflexão sobre o amor com dois textos bíblicos impressionantes e que nos levam a pensar o amor numa esfera que comumente não estamos acostumados a pensar. Nossa visão de amor é essencialmente emotiva. Ainda que está seja uma consideração importante e falaremos sobre ela em momento oportuno, não deveríamos simplificar o amor a uma resposta afetiva/emotiva, onde experiências quase subjetivas determinam se amo ou não. Nas Escrituras o que vemos claramente descrito é um amor volitivo, uma decisão de fazer algo para alguém que seja mensurável, verificável e palpável. O texto de Dt.7.7,8 é base para esta nossa argumentação. Nele vemos claramente que o Senhor não teve afeição alguma para com Israel; mas porque decidiu amar (escolher) este povo Ele evidenciou o Seu amor os libertando do cativeiro egípcio. Num outro texto fortíssimo, Malaquias descreve que o Senhor tem amado a nação de Israel, mas esta questiona se de fato há amor da parte de Deus. Veja se há cabimento neste questionamento da nação? A resposta da parte de Deus é clara e expressa a sua decisão - "Eu escolhi (amei) a Jacó" (vd. Ml.1.2). Partindo da maneira como Deus ama, é que começamos a nossa reflexão. O amor de Deus é primariamente uma decisão que se evidencia. Considerando a nossa vida, como você tem amado? O seu amor é baseado em afeições ou em decisões? Se for em decisões, como ele se evidencia em seus relacionamentos? Descreva alguns deles (Não pense somente em sua família e amigos, pense em pessoas que você não tem muito contato e até naqueles com quem você tem dificuldade). Se for em afeições apenas, eu sugiro que você reveja a sua compreensão de amor, pois te conduzirá a expressões errôneas e, talvez, pecaminosas.  

Quarta-feira 

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.22.34-40; Jo.14.21 

1. A decisão de amor que se expressa em nosso dia a dia não é uma verdade que nós deduzimos das Escrituras, antes é um mandamento estabelecido por Deus e ensinado pelo próprio Cristo. No Evangelho de Mateus há o relato de uma daqueles frequentes situações na vida de Jesus. Sempre que possível um de seus opositores vinha até Ele para questioná-lo a fim de pegá-Lo em contradição. Deste vez o questionamento é sobre qual é o grande mandamento na lei? (vd. Mt.22.36). A resposta da Jesus é dupla e traz a memória os dez mandamentos de Êxodo 20. O primeiro e grande mandamento é amar a Deus (vd. Mt.22.37,38). O segundo ponto de sua resposta é amar o próximo (vd. Mt.22.39). Isso nos dá uma clara indicação de que nossa decisão de amor tem um foco primário que é Deus e um secundário que é o próximo. Dessa forma, quando dizemos que amamos o próximo, mas para isso violamos o amor a Deus, pecamos e a nossa expressão de amor ao próximo está distorcida. A pergunta que pode e deve surgir é: Como posso, então, amar a Deus? O texto de Jo.14.21 nos dá esta responda com certa clareza - guardando os mandamentos deixados por Cristo. Amar agora tem focos bem estabelecidos e nossa compreensão do amor bíblico pode ser aumentada. Resumindo o que já vimos: 1. amor é uma decisão que se evidencia; 2. amor tem dois focos sendo o primeiro deles Deus e o segundo o próximo. 3. amar o Senhor é obedecer aos seus mandamentos. Faça uma sondagem bem íntima e avalie se você tem amado com estes focos bem estabelecidos ou se você tem alterado a ordem estabelecida nas Escrituras. Faça um pequeno diário onde você descreve como esse seu amor a Deus e ao próximo ficam evidenciados em seu dia a dia. Se não há esta evidência, quais são os passos que você pode dar para começar a amar?  

Quinta-feira 

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Lc.10.33; Mt.5.43-48 

1. Não temos dúvida quanto a quem é Deus. Porém, pode ser que haja alguma dúvida sobre quem é o próximo. Para isso gostaria de tratar de dois textos muito esclarecedores sobre esse assunto. Humanamente falando podemos ver o nosso próximo como aquele que nos favorece, aquele que é achegado a nós. E talvez fosse essa a visão do intérprete da lei que questiona a Jesus sobre quem é o seu próximo (vd. Lc.10.29). Olhando rapidamente para o contexto desta pergunta, Lc.10.25-28, mostra que o intérprete da lei queria pegar Jesus e questionou como ele poderia ganhar a vida eterna. A resposta de Jesus faz com que o intérprete pense e responda. Sua resposta é clara e objetiva - ame a Deus e ame ao próximo. Jesus, diante desta resposta, desafia o intérprete a viver dessa forma uma vez que ele sabe o que fazer. Então surge o nosso verso com sua instigante pergunta: quem é o meu próximo? Jesus responde este questionamento com uma história. Um homem foi assaltado, agredido e quase morreu. Dois homens importantes dentro da cultura judaica passaram por este homem e nada fizeram, mas um samaritano (lembre-se que judeus e samaritanos não eram amigos!) parou e cuidou do homem agredido em tudo que necessitava (vd. Lc.10.30-35). A pergunta final de Jesus é, portanto, quem foi o próximo do homem agredido? (vd. Lc.10.36). Não há outra resposta para o intérprete da lei senão dizer que era o samaritano. O samaritano demonstrou o seu amor por alguém que ele desconhecia e o intérprete teve que concordar com Jesus que amar é buscar o bem de pessoas que não somos próximas, também. Mateus 5.43-48 é mais explícito em sua afirmação, pois Jesus diz qualquer um é capaz de amar aquele que nos ama, mas amar quem não deseja o nosso bem é para aqueles que compreenderam o amor de Deus, por isso sejamos perfeitos como o nosso Pai celeste (vd. Mt.5.48). Quero propor algo para você, quais são as pessoas que você precisa amar como Jesus ensinou. Aliste-as. Faça um plano para expressar o seu amor para com eles e ore a Deus pedindo graça neste processo. 

Sexta-feira 

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Jo.3.16 

1. Gostaria de terminar a semana definindo amor depois destas reflexões. Uma definição simples, fácil de ser memorizada e clara para verificar se você tem amado. Amor é a decisão de buscar o maior bem do próximo sem violar os mandamentos do Senhor. Veja como o texto de hoje nos exemplifica essa verdade. Deus buscou o nosso maior bem dando o Seu filho; Deus viu em pessoas pecadoras como nós e indispostas de fazer o que Lhe agrada como os próximos; Deus não violou nenhum dos Seus mandamentos para enviar seu Filho. Isso é decidir amar e expressão viva de amor. Mensurável, verificável, palpável! Pronto para este desafio, eu espero em Cristo que sim! Continuaremos nossa reflexão sobre o amor em 15 dias.

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios