Home / Recursos / Estudos / Pedro
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
13/12/2011

PedroImprimir

PEDRO

Obs.: Esta é a última devocional deste ano. Por este motivo, será mais longa que o habitual para que você possa fazer com calma e estudar por mais tempo. Voltamos em Janeiro! Deus os abençoe ricamente neste final de ano.

 O Apóstolo Pedro é um daqueles homens marcantes na história da humanidade. Seus registros são fartos no Novo Testamento e por isso temos a tendência de pensar que conhecemos muito sobre quem é esse homem. Criamos ao longo do tempo uma caricatura muitas vezes não condizente com aquele apresentado nos textos bíblicos.
 Visando conhecer um pouco mais sobre Pedro, nos debruçaremos sobre o alguns textos do Novo Testamento na próxima semana para estudarmos - A vida de Pedro. Faremos um panorama da vida de Pedro e depois trabalharemos com áreas da vida deste homem que Deus usou para propagação do Evangelho.

Terça-feira

TEXTO: LEREMOS DIVERSOS TEXTOS HOJE.

1. Podemos incorrer num erro bastante comum que é o de achar que Jesus chamou pessoas muito especiais para ser Seu discípulo. Gostaria que você observasse esta breve biografia de Pedro e visse quem foi que Cristo chamou para ser Seu seguidor:

 A. Quem ele é?

      a. Nome: Ao menos três são os seus nomes no decorrer do Novo Testamento.

          - Simão (Simeão): Possivelmente o nome de batismo. O nome pelo qual as pessoas na sua cidade o conheciam (Mt.16.17; Mc.3.16; Jo.21.15; At.15.14; II Pe.1.1)

          - Cefas: O nome Pedro traduzido para o Aramaico (Gl.2.9, 11, 14)

          - Pedro: O nome mais utilizado para nomear este apóstolo no período da igreja primitiva (Gl.2.7,8; Mt.16.18)

      b. Profissão/Condição de vida:

         - Pescador (Mt.4.18; Mc.1.16)

         - Era dono de pelo menos um barco e tinha sócios nos negócios (Lc.5.1-11). Aos sócios é referido que tinham empregados (Mc.1.20).

      c. Estado civil/familiares:

         - Sem dúvida alguma Pedro era um homem casado (Mc.1.30). Sua mulher provavelmente o acompanhava nas suas viagens missionárias (I Co.9.5).

         - O nome de seu pai era João (Jo.1.42) ou Jonas (Mt.16.17) e trabalhava com ele. Seu irmão era André que também seguiu a Cristo (Mc.1.16-18), contudo fora seguidor de João, o Batista (Jo.1.35,40).

      d. Moradia:

         - Nascimento: Nasceu em Betsaida - Jo.1.44. Betsaida significa "Casa de pesca" ou "Casa de pescadores". Localizava-se na margem leste do Rio Jordão ao norte do Mar da Galiléia. Foi reconstruída por Filipe o Tetrarca (Mt.14.3), que era filho de Herodes, o Grande. Ao reconstruir a cidade a dedicou a filha do Imperador Augusto e chamou-a Julias. Cidade com forte influência Romana e de língua comum o grego.

         - Habitação: Morava em Cafarnaum onde ocorreu o seu chamamento para seguir a Jesus (Mc.1.21,29). Tinha, ao que parece, sua própria casa. Cafarnaum significa em hebraico "Vila de Naum", mas não se tem certeza se o profeta Naum habitou nessa cidade, uma vez que não é citada no AT. Era uma cidade grande nos dias de Cristo e tinha uma coletoria de impostos e possivelmente um posto da Guarda Romana.

      e. Características

         - Pessoais: 

            # Era alguém precipitado com as palavras (Mt.16.22)

               Quando os discípulos estão conversando com Cristo normalmente é Pedro quem fala.

               Por ser aquele que mais se dirige a Cristo, torna-se também o maior alvo das repreensões de Jesus (Mt.16.23; cf. Pv.10.19)

            # Era alguém precipitado com as atitudes (Jo.18.10; 20.6; cf. Pv.19.2)

         - Teológicas:

            # Era um judeu bastante temente a Deus (At.10.14)

               Possivelmente foi introduzido a pessoa do Messias pela pregação de João, o Batista (At.1.5,22 ; cf. Jo.1.39)

               Não era alguém instruído teologicamente na tradição rabínica (At.4.13)

 B. O que ele fez?

      a. Teologicamente:

         - Escreveu duas cartas do Novo Testamento - I e II Pedro

         - É a fonte por trás da composição do Evangelho de Marcos

      b. Ministerialmente:

         - Tinha um ministério forte entre os judeus (Gl.2.8)

         - Foi o primeiro a pregar publicamente no início da igreja (At.2.14)

         - Foi o primeiro, provavelmente, a pregar aos gentios (At.10.24)

         - Foi um dos primeiros apóstolos a realizar um milagre no início da igreja (At.3.1-10; 5.15)

         - Era um dos discípulos mais próximos de Jesus juntamente com Tiago e João (Mc.5.37, 9.2)

         - Foi o primeiro discípulo a confessar o Senhor como o Messias (Mt.16.16)

         - Foi ele quem ministrou a primeira disciplina retratada na igreja (At.5.3)

 Você reparou que Pedro era um homem comum em seus dias. Um homem trabalhador que sustentava a sua casa e desenvolvia o seu comércio. Deus usou este homem comum que se dispôs a servi-Lo. Você e eu somos pessoas comuns. De que maneira, ser uma pessoa comum, pode nos auxiliar no processo de servirmos a Cristo? Descreva quais são as possibilidade que Deus lhe tem dado em sua rotina para servi-LO? Você seria capaz de alistar ao menos cinco oportunidades de servir ao Senhor no último ano? Descreva. Quais passos você pode dar e que possibilitariam  o seu serviço?

Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.14.22-32

1. Pedro é o homem que aprendeu a temer. Quando pensamos em Pedro parece-nos que sempre foi alguém determinado e firme, confiante e convicto de que nada o abalaria. Penso, contudo, que por trás desse homem aparentemente forte existe um indivíduo aprendendo a temer a Cristo e a Deus. Dois relatos parecem nos mostrar por onde caminhava o coração de Pedro e o que Deus fez, por meio do Seu Espírito, trabalhando de modo regenerador. Tranquilizar a tempestade e andar sobre as águas revela claramente a divindade de Cristo exclusivamente aos Seus discípulos e de modo muito particular a Pedro (14.22-33). Jesus despediu a multidão e os discípulos e foi orar sozinho (Mt.14.22,23). Os discípulos, então, pegaram um barco e foram para outra cidade. Estavam no meio do "mar" e no meio da madrugada. O mar da Galiléia ficava abaixo do nível do mar. Fim de madrugada, tempestade, os homens olhando para a direção das ondas e possivelmente muita névoa (Mt.14.24,25). No meio do mar veem uma pessoa! A atitude dos discípulos foi a que, possivelmente, nós também teríamos! Qual a resposta deles? Gritos causados pelo medo. (Mt.14.26). A resposta de Jesus diante da reação dos Seus discípulos é de alguém que ama. Calma! Sou eu. Não tenham medo! (Mt.14.27). Surge neste momento o nosso personagem - Pedro. Temente ou temeroso? Estaria Pedro duvidando que Cristo andava por sobre as águas? Ou tinha tamanha certeza que o Senhor poderia mesmo andar sobre as águas? (Mt.14.28). A resposta de Jesus é de um verdadeiro Mestre: Vem! Essa resposta permitiu que Pedro expusesse claramente em quem ele tinha temor. Num primeiro momento ele anda (Mt.14.29). Num segundo momento ele teme e não foi a Cristo (Mt.14.30). Junto com o temor vem o consolo. Para quem nós corremos e suplicamos quando estamos com medo? Pedro clamou pelo Senhor (Mt.14.30b). Pedro está aprendendo a temer somente ao Senhor. Da mesma forma como Ele socorreu a multidão e os Genesarenos (Mt.14.13-21), Cristo socorreu a Pedro. Porém, novamente o ensino revela o que se passou no coração de Pedro naquele momento específico em que começou a afundar - duvidou! Teve sua mente dividida. Não é que Pedro não tinha fé, antes, ele duvidou que e deixou de confiar única e exclusivamente em Cristo no meio da tempestade. Qual a lição ensinada por Jesus aos discípulos? Ao subir no barco a tempestade cessou (Mt.14.32). Temer ao Senhor é a base para viver em consonância com a Verdade. A resposta dos discípulos a ação de Cristo foi de adoração (Mt.14.33). Onde você deposita a sua confiança quando tem que lidar com uma situação que lhe gera temor? Descreva quais foram as últimas situações em que isso ocorreu.

2. Pedro aprendeu a temer ao Senhor e teve sua vida transformada a ponto de escrever corrigindo seus leitores sobre como lidar com uma situação de dificuldade e ansiedade na vida(I Pe.5.7). No momento em que você tem a mente dividida e fica se remoendo em dúvidas, inquietações e temores, qual tem sido a sua busca? Para quem você tem olhado durante este processo? Quais são as áreas da sua vida que te levam a uma inquietação maior?

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE Mt.26.12-28.20; Mc.14.1-16.8; Lc.22.1-24.12; Jo.13-20

1. Uma das situações mais marcantes da vida de Pedro se dá nas horas que precederam a crucificação de Jesus. Ele sempre foi um homem que ressaltou de maneira veemente a sua lealdade ao Senhor Jesus. Na última ceia, contudo, muita coisa veio foi revelada por Cristo. Primeiramente, o nome do traidor de Jesus. Em segundo lugar que Pedro o negaria três vezes antes que o galo cantasse. No momento oportuno aquilo que Cristo havia dito ocorreu e Pedro o negou três vezes (Mt.26.69-75; cf. Mc.14.66-72; Lc.22.55-62; Jo.18.15-18,25-27) e ele se lembrou do que Jesus havia dito e seu coração encheu-se de tristeza e angústia. Sua resposta de negação a Cristo diante de um discurso inflamado revela que Pedro temia o que as pessoas pensariam dele e fariam com ele caso ele viesse a se identificar com Cristo. Em Gl.2.11-15 vemos que Pedro continuava num processo de transformação, pois ele continuava a temer aquilo que aqueles que estavam ao seu redor pensariam sobre ele e, por causa disso, Paulo o confronta. As Escrituras chamam esse temor de "Temor a Homens". Evidencia-se por buscarmos manter uma boa imagem de nós mesmo para aqueles que nos cercam, mesmo que isso custe a negação ou o abrir mão de convicções e princípios. Pense na sua vida e reflita: você considera importante o que as pessoas pensarão de você? Quando você faz algo, de alguma maneira, você espera que alguém faça algum elogio? Você busca fazer as coisas com o mínimo de erros para não receber nenhuma crítica? Você deixa de confrontar alguém que está em pecado para manter uma "amizade" com essa pessoa? Muita atenção se sua resposta a estas questões foi positiva. Saiba que sofrer por causa do evangelho e por causa de um padrão elevado de santidade e correção não é mal. Ainda que você perca benefícios temporais, você está crescendo a imagem e semelhança com Cristo. Descreva situações onde você pode perceber que seu coração temeu a homens e, em seguida, como você deveria ter agido de modo a temer a Deus. Aliste que passos você deve dar para agir corretamente numa próxima situação. Pedro aprendeu a lição e nos deixou claro qual deve ser a nossa atitude (I Pe.4.16).

Sexta-feira

TEXTO: LEREMOS DIVERSOS TEXTOS HOJE.

1. Havia certo temor depois de Jesus ter morrido e incertezas por parte dos discípulos inclusive quanto à própria ressurreição de Jesus (Jo.20.8; Lc.24.5-12). Mas os apóstolos nunca ficaram sozinhos ou desamparados. Pois, antes de ser crucificado Jesus havia dito que enviaria o Consolador para todos os discípulos e, sem dúvida, o nosso querido irmão Pedro ouviu que isso aconteceria (Jo.16.7-14). A vida dos apóstolos mudou completamente e agora eles viviam como pregadores da Palavra de Deus e o papel deles era de testemunhar sobre quem Cristo era e o que Ele havia feito pela nação de Israel e por toda a humanidade e proclamar o Evangelho do Senhor a todo mundo. A proclamação do evangelho é descrita no livro de Atos e um dos seus personagens principais é Pedro. Na verdade o livro de Atos irá nos apresentar dois grandes personagens nesse progresso do evangelho Pedro e Paulo. Quem é Pedro como ministro do Senhor? Para responder a esta pergunta consideraremos dois grandes discursos de Pedro e veremos o seu desfecho.
  

   A. O primeiro grande discurso - At.2

       Jesus acabara de ser ascendido aos céus e os discípulos se viram diante de uma nova tarefa continuar a jornada iniciada pelo Mestre. Nesse momento Jesus não estava mais fisicamente presente e nem o Espírito Santo havia se manifestado nos discípulos. Qual a melhor maneira e momento para distinguir esse novo grupo de indivíduos que pregavam um Evangelho diferente? O capítulo 2 de Atos trás essa resposta.

      a. A festa era de Pentecostes - O livro de Lv.23.15-25 descreve o que era e como deveria ser realizada a festa de pentecostes. Era uma data comemorada 50 dias após a Páscoa e toda a nação deveria trazer ao templo uma oferta ao Senhor em gratidão pela colheita e em forma de expiação pelo pecado. No período do Novo Testamento essa festa foi mantida por meio de um calendário estabelecido pelos saduceus, estabelecendo o Pentecostes sempre 50 dias depois da Páscoa, num domingo.

         Pensado que Cristo morreu na Páscoa e ficou entre os discípulos por mais 40 dias (At.1.3), a festa de Pentecostes se deu provavelmente uma semana após a ascensão de Jesus.

      b. O Espírito Santo veio sobre os homens em forma de fogo e começaram a falar em línguas, ou seja, em idiomas contemporâneos para que muitos pudessem ouvir a mensagem do evangelho (2.5-13

      c. Contudo, uma explicação precisava ser dada. O que estava ocorrendo? Afinal de contas essa não era uma manifestação comum naqueles dias. Pedro levanta-se diante de todos e prega a mensagem do evangelho.

         - Chama-nos a atenção porque em 50 dias Pedro havia negado a Jesus e agora ele levanta-se diante de toda a nação reunida e proclama a verdade.

            # Deus usa para o seu ministério pessoas que estão dispostas a reconhecer os seus erros, arrepender-se de seus feitos e substituir por novas ações piedosas (ensinável). Pedro demonstrou ser alguém ensinável.

   B. O discurso no Sinédrio - At.4.5-22; 6.27-42

      Pedro, João e os demais apóstolos estavam realizando diversas curas entre os habitantes de Jerusalém. Fato esse que gerava grande desconforto entre os líderes judaicos o que os levou a prenderem a Pedro e João.

      a. Um fato que chama bastante atenção nesse relato de At.4.5-22 é a declaração que eles eram iletrados (4.13). O que nos coloca diante da realidade que Deus não precisa dos talentos indivíduos de cada um de nós para cumprir os Seus planos soberanos.

         - Se Deus tem um plano e propósito, Ele mesmo capacita os indivíduos a realizarem aquilo que Ele deseja. Assim, a pessoa que Deus utiliza para o Seu ministério deve ter um coração de servo/disponível.

            # Antes de Pedro chegar ao ponto de pregar e se expor ele ficou três aproximadamente ao lado de Cristo fazendo tudo o que era necessário. Paulo antes de sair para as suas viagens permaneceu 13/14 anos em uma igreja local de Antioquia servindo naquele local.

         - Sem dúvida Pedro tinha consciência de suas limitações (II Pe.3.16), mas Deus queria usá-lo mesmo assim.

      b. Pedro e João estão novamente diante do Sinédrio para dar explicações, não por causa da cura, mas por causa de não terem parado de proclamarem o Evangelho.

         - Pedro mudou muito durante esse curto período de tempo. Agora diante do Sinédrio sua principal resposta foi "Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens" (5.29); seguido de "regojizando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome" (5.41).

            # Ensinável, servo/disponível e disposto a pagar os preços momentâneos para poder proclamar a verdade.

 Você gostaria de servir ao Senhor avalie o seu coração e peça a Deus graça e sabedoria para verificar se em você há um coração ensinável, servo e disposto a pagar o preço do discipulado. Gaste um tempo orando sobre isso e meditando no exemplo de Pedro.
 

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios