Home / Recursos / Estudos / Ana
Devocional
Pr. Davi F. M. Cáceres
sobre o autor
02/08/2011

AnaImprimir

ANA

 Diversos personagens nas Escrituras sofreram de modo intenso. Dentre estes está Ana. Apenas dois capítulos das Escrituras falam sobre a vida dela e toda a sua devoção ao Senhor. Devoção que resultou no consolo e graça provenientes do próprio Deus. Até mesmo seu nome reflete tal cuidado (Ana em hebraico significa Graça).

Terça-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE I Sm.1.1-8

1. Ana era uma das esposas de Elcana. Segundo o texto a esposa que ele mais amava (I Sm.1.5). A outra esposa de Elcana se chamava Penina. Penina teve filhos, porém Ana era estéril. A esterilidade não era muito bem aceita na comunidade judaica. Uma mulher que não desse filho ao seu marido poderia ser trocada por outra mulher para que assim o homem pudesse ter filhos. Como se não bastasse às dificuldades da esterilidade, Ana tinha que suportar todas as irritações que Penina impunha sobre a vida dela (I Sm.1.7). A situação provocava tão grande aflição à Ana que ela não comia direito e chorava demoradamente. Como lidar com uma situação como essa? A resposta a esta questão virá durante a semana. Contudo, há alguém na sua vida que lhe causa infortúnio e o irrita com suas palavras? Leia o texto de Rm.12.17-21 e responda: como devemos tratar alguém que nos causa dano e nos faz o mal? Aliste ações que você poderia usar em seus relacionamentos para buscar a paz e amar aquele que não lhe favorece. Gaste um tempo orando a Deus, pedindo sabedoria, mansidão, paciência e domínio próprio para amar alguém que não lhe favorece, antes, lhe faz o mal e o irrita.


Quarta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE I Sm.1.9-18

1.  Elcana juntamente com sua família ia todos os anos a Silo para sacrificar ao Senhor. Numa das vezes que foi a Silo, Ana estava extremamente amargurada em sua alma (I Sm.1.10). Em sua amargura sua ação foi dirigir-se para diante de Deus e orar. O choro não deveria ser encarado como uma fraqueza nesta situação, mas como uma expressão da angústia e sofrimento de alguém que está buscando em Deus o consolo em meio a dor e lutando com suas fraqueza (Mt.5.4). A atitude de Ana era de tal reverência que seus lábios mexiam, mas não saíam palavras de sua boca o que levou o sacerdote Eli a pensar que estava bêbada. A oração de Ana não era egoísta. Pelo contrário, seu desejo era de colocar o seu filho a disposição do Senhor. Ao ouvir a petição de Ana, Eli compreende a situação e a abençoa. O consolo proveniente do Senhor promoveu transformação de semblante e apetite. Ana tinha um desejo, mas estava disposta a avaliá-los. Seu desejo era legítimo e sua atitude era correta. Quais são os seus desejos? Aliste-os. Estes seus desejos são legítimos? Avalie cada um deles para assegurar se não se tornaram em ídolos. Faça perguntas como: Este desejo é sustentado biblicamente? Este desejo altera as prioridades da minha vida? Este desejo permeia o meu pensar a ponto de me dominar? Minhas conversas giram em torno deste desejo?
 

Quinta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE I Sm.1.19-28

1. O Senhor na sua benevolência permitiu que Ana concebesse. Desta concepção nasceu um filho cujo nome era Samuel. O desejo de Ana era que ele servisse ao Senhor integralmente. Por este motivo ela não subiu para oferecer o sacrifício anual (I Sm.1.21). Ela subiria para levar seu filho ao sacerdote assim que ele desmamasse. Tendo ocorrido isso Ana levou Samuel para a presença de Eli que o recebeu. Ana pediu e o Senhor concedeu. Seu desejo foi atendido, mas ela estava disposta a abrir mão do seu mais forte desejo para honrar ao Senhor. O descanso promovido pelo Senhor veio por meio de uma reverência completa e uma disposição de avaliar os seus desejos. O que seria mais difícil para você abrir mão hoje? Aliste. Avalie se isto tem sido um empecilho para você servir ao Senhor? Você está disposto a abrir mão de seus desejos para servir melhor ao Senhor? Como você pode perceber isso em sua vida.

 

Sexta-feira

TEXTO: LEIA O TEXTO DE I Sm.2.1-11

1. Como lidar com uma situação de dor e sofrimento em sua vida? Ana nos deu um grande modelo para isso. Primeiro, apresente-se diante de Deus com um coração humilde e quebrantado levando para diante Dele suas petições e súplicas (Leia Fp.4.6,7). Segundo, esteja disposto a abrir mão dos seus próprios desejos para servir e honrar melhor ao Senhor. Terceiro, apresente ao Senhor louvor, relembrando o caráter, os atributos e o modo como Deus cuida do seu povo. A oração de Ana no capítulo dois é um grande hino de exaltação ao Senhor. Estas ações demonstram um coração que não pensa em seus próprios interesses antes se submete ao cuidado de Deus, de modo humilde e reverente, e desfruta do consolo e paz que provém Dele e O adora por ver Seu grande cuidado. Em meio a dor Ana relembrou-se do Senhor e do Seu caráter. Neste momento ore e adore ao a Deus.
 

Pr. Davi F. M. Cáceres
Autor
Pr. Davi F. M. Cáceres
Pr. Davi F. M. Cáceres
IGREJA BATISTA PEDRAS VIVAS - RUA GUACUMÃ, 535 - VILA CALIFORNIA, SP - VEJA O MAPACONTATOIBPV MAILINDIQUE A UM AMIGO
Indique um amigo *Campos obrigatórios